Verminosos por futebol

https://goo.gl/HjLRc6

Carrinho de compras

Gaúcho vende relíquias da bola em feiras

O colecionador Charles Müller montou banquinha para vender parte de suas coisas de futebol

O colecionador Charles Müller vende artigos de futebol em feiras de Porto Alegre (Foto: Acervo pessoal)
O gaúcho Charles Müller vende artigos de futebol em feiras de Porto Alegre (Foto: Acervo pessoal)

So você mora em Porto Alegre ou planeja uma viagem à cidade, nunca mais verá uma feira pública da mesma forma. Em 2006, o colecionador Charles Müller montou uma banquinha para vender parte de suas camisas de times e seleções. Hoje, virou figura reconhecida em feiras locais, graças às centenas de artigos de futebol que oferece.

Aos sábados, Charles pode ser encontrado no Caminho dos Antiquários. Aos domingos, às vezes está no Brique da Redenção. E, uma vez por mês, vai à Feira de Antiguidades do Mercado Público, a primeira feira que passou a frequentar com seus pertences. “Minha banca é a única com temática de futebol”, indica o gaúcho, de 37 anos.

Naturalmente, a banquinha chama a atenção. São expostos flâmulas, mantas, chapéus, chaveiros, taças, vinis, DVDs, livros e souvenires oficiais de quase todas as Copas do Mundo. E, claro, muitas camisas, incluindo uma do Estudiantes autografada por Veron. “Com o tempo fui ampliando o acervo”, relata o torcedor do Grêmio.

Charles Müller fabrica quadro com mini-taças da Libertadores, vendido por R$ 750 (Foto: Acervo pessoal)
Charles Müller fabrica quadro com taças da Libertadores, vendido por R$ 750 (Foto: Acervo pessoal)

Os preços dos artigos variam bastante. Desde R$ 5, caso de chaveiros, a R$ 1.500, valor pedido por algumas camisas. “Tudo depende da raridade da peça”, aponta. Entre as atrações, está uma réplica licenciada da taça da Libertadores, vendida por R$ 850, e um quadro com mini-taças do torneio, com fabricação própria, comercializado por R$ 750.

“Tive a ideia desse quadro numa visita ao museu do Boca Juniors. Atualmente, vendo em média dois deles por mês”, comemora Charles, que também oferece seus produtos colecionáveis no Mercado Livre e no Facebook. “Já fiz negócio com museus de futebol, árbitros e até um diretor de canal esportivo de TV”, gaba-se.

> LEIA TAMBÉM

Ah, se você ficou curioso, o nome do colecionador não foi homenagem ao introdutor do futebol no Brasil. O sobrenome Müller deve-se a origem alemã da família. Com o nascimento do garoto em 1978, no mês da Copa do Mundo, o pai pretendia batizá-lo com o nome do jogador que marcasse o primeiro gol da seleção brasileira no jogo mais próximo.

“Minha mãe não gostou nada da ideia do meu pai sobre o nome, então decidiu que eu me chamaria Charles. Ou seja, Charles Müller”, ri o colecionador. Dessa forma, o que não era para estar relacionado a futebol, sem ela saber, ficou sim. De modo mais irônico, impossível.

Páginas de Charles Müller:
facebook.com/charlesmullercolecionaveis
lista.mercadolivre.com.br/_CustId_103600325

Charles Müller monta banquinhas de futebol em feiras de Porto Alegre desde 2006 (Foto: Acervo pessoal)
Charles Müller monta banca de futebol em feiras de Porto Alegre desde 2006 (Foto: Acervo pessoal)

Clique no link e leia também:

20-camisas-classicas-do-brecho-classic-11
www.verminososporfutebol.com.br/carrinho-de-compras/20-camisas-classicas-do-site-classic-11


// Categorias

// Histórico de Publicações

// As mais lidas

Quer ser o primeiro a receber nossas novidades por e-mail?

// TV Verminosos

// Instagram

// Tags

Compartilhe: