Verminosos por futebol




Papo sério

Trieste FC, de Curitiba: o time amador com melhor estrutura no Brasil

Fundado pela colônia italiana, o Trieste tem estrutura de dar inveja a clubes profissionais

O Trieste é dono do estádio Francisco Muraro, com 2,5 mil lugares (Foto: Divulgação)
O Trieste é dono do estádio Francisco Muraro, com 2,5 mil lugares (Foto: Divulgação)

Curitiba é uma rara cidade do Brasil com dois clubes campeões nacionais de futebol – Atlético e Coritiba, que estão entre os mais tradicionais do país. Fora do profissionalismo a capital paranaense também se destaca, com o time dono da melhor estrutura no futebol amador brasileiro.

O Trieste Futebol Clube faz inveja a maioria dos clubes profissionais do país. Afinal, o time mais bem-sucedido do futebol amador de Curitiba possui um estádio com 2,5 mil lugares, todo com cadeiras cobertas, o Francisco Muraro, no bairro de Santa Felicidade. Mas não só isso.

Complexo esportivo

A sede do Trieste conta com um ginásio poliesportivo anexo, com arquibancada para 600 espectadores, duas quadras de grama sintética cobertas, piscina semiolímpica, academia, auditório, alojamento/hotel para jovens das categorias de base e estacionamento.

“Pelo que eu conheço, não existe no Brasil nenhum outro clube amador com tal estrutura”, aponta Heriberto Ivan Machado, pesquisador de futebol há 55 anos, autor do livro “Trieste: O Campeoníssimo Suburbano”, publicado em 2006.

“Não existe no Brasil nenhum clube amador com tal estrutura”. (Heriberto Ivan Machado)

O Trieste tem as cores da bandeira italiana (Foto: Do Rico ao Pobre)
O Trieste carrega no escudo as cores da bandeira italiana (Foto: Do Rico ao Pobre)

Origem italiana

O Trieste foi fundado em 1937, pela colônia italiana que formou o bairro de Santa Felicidade. Oriundos da cidade de Trieste, eles criaram um time com as cores da bandeira da Itália. Ao longo dos anos, a equipe virou a maior campeã municipal, com 12 títulos, e a maior campeã da Taça Paraná, que reúne os campeões amadores de cada cidade, com 11 conquistas.

Esses dois feitos são representados por estrelas no escudo, acompanhadas de uma terceira que remete ao título do Torneio Sul-Brasileiro em 2007, competição anual que contempla os campeões amadores de Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e São Paulo. “Por essa razão, o time é chamado de Campeoníssimo”, indica Heriberto.

Estrutura do Trieste:

Se o Trieste já era forte no futebol amador de Curitiba, ficou ainda mais desde que a empresa de alimentos Stival, dos proprietários Rafael e Alexandre Stival, assumiu o comando do time, em 2005, num contrato de arrendamento por 20 anos.

Moradores do bairro e torcedores da equipe, eles fizeram boa parte do investimento atual, com o objetivo de revelar e negociar jogadores. “Atualmente só perdemos para o Atlético em Curitiba”, gaba-se o empresário Rafael Stival, em entrevista ao Youtube do Trieste.

Passado o período de arrendamento, todas essas melhorias serão propriedade do time. Para alívio da torcida. “Nenhum dos diretores atuais ou anteriores tinha condição financeira para realizar algo pelo menos parecido com o que existe hoje”, contextualiza Heriberto.

O empresário Rafael Stival hoje dirige o Trieste (Foto: Divulgação)
O empresário Rafael Stival hoje dirige o Trieste (Foto: Blog do Barletta)

Liga organizada

O futebol amador de Curitiba é o mais organizado do país, como o Verminosos por Futebol já mostrou na série de reportagens #VerminososEmCuritiba. O campeonato municipal, conhecido como Suburbana, é disputado desde 1941, sendo promovido pela Federação Paranaense de Futebol desde 1948.

O Trieste fez sua estreia na competição em 1952, com 15 anos de trajetória, ainda na 3ª divisão da Suburbana, e chegou à elite em 1959. Em 1964, veio o primeiro título da 1ª divisão – o último foi em 2013.

Seu maior adversário é o Iguaçu, também formado por descendentes de italianos no bairro de Santa Felicidade, fundado em 1919. A equipe é a segunda maior campeã da Suburbana, com 10 títulos, dois a menos que o Trieste, com quem faz uma espécie de “Atletiba do Subúrbio”.

Nesse cenário, o Trieste preferiu não seguir o caminho de Atlético e Coritiba. “Se tivesse enveredado para o profissionalismo, seria apenas e tão somente um time pequeno, com pouca torcida e sem nenhum dinheiro, como tantos que existem no Brasil”, opina Heriberto.

Livro conta a história do Trieste de 1937 a 2006 (Foto: Verminosos por Futebol)
Livro conta a história do Trieste de 1937 a 2006 (Foto: Verminosos por Futebol)

Livro do Trieste

O livro sobre o Trieste foi produzido por Heriberto Ivan Machado em parceria com Levi Mulford, uma sumidade no futebol amador de Curitiba. Hoje com 89 anos, ele cobre a Suburbana desde 1953, sendo desde 1956 pela Tribuna do Paraná.

“Levi, no início, ia de bicicleta para fazer a cobertura de jogos nos bairros distantes. Era uma aventura e tanto! Hoje, tem as súmulas de quase todos os jogos desde os anos 50, além de muitas fotos. É um acervo fabuloso!”, elogia o amigo, de 68 anos.

“Se tivesse enveredado para o profissionalismo, o Trieste seria apenas e tão somente um time pequeno, com pouca torcida e sem nenhum dinheiro”. (Heriberto Ivan Machado)

Com isso, “Trieste: O Campeoníssimo Suburbano” é um livro que impressiona até mesmo a clubes profissionais, já que traz todo o histórico de resultados do time, além de uma lista de mini perfis dos maiores jogadores que já vestiram a camisa tricolor.

“Tive a sorte de entrevistar alguns velhos descendentes dos imigrantes, que mesmo com a idade super avançada tinham boa memória para relatar como eles ajudaram a fundar o Trieste e até defenderam a camisa italiana em muitos campeonatos”, situa Heriberto.

Infelizmente, o livro não está mais à venda. Todos os 1.000 exemplares esgotaram-se na noite do lançamento, em evento no Trieste, em 2006. Sobraram 10 volumes, e o último foi enviado justo ao Verminosos. Se ficou curioso, foi mal aí!

Perfil do clube:

Nome: Trieste Futebol Clube.
Fundação: 8/6/1937, no bairro de Santa Felicidade, em Curitiba.
Estádio: Francisco Muraro.
Títulos: 12 vezes do Campeonato Municipal (1964, 1965, 1968, 1969, 1972, 1975, 1976, 1984, 1985, 1986, 2006 e 2013), 11 vezes da Taça Paraná (1965, 1966, 1969, 1970, 1971, 1982, 1984, 1985, 1988, 1990 e 2006) e 1 do Sul-Brasileiro (2007).
Redes sociais: Facebook e Youtube.

Serviço:

Contatos do autor – Heriberto Ivan Machado:
41-3338.4510 e machado50h@gmail.com.


// Categorias

// Histórico de Publicações

// As mais lidas

Quer ser o primeiro a receber nossas novidades por e-mail?

// TV Verminosos

// Instagram

// Tags

Compartilhe: