Verminosos por futebol

https://goo.gl/HjLRc6

Viagem no tempo

11 curiosidades sobre o Craven Cottage

Sede do Fulham desde 1896, o estádio de Londres possui características únicas na Inglaterra

Estádio do Fulham, de Londres, usado desde 1896, conseguiu manter sua arquitetura centenária (Foto: Divulgação)
Casa do Fulham, de Londres, usada desde 1896, mantém arquitetura centenária (Foto: Divulgação)

Poucos estádios do mundo são tão charmosos quanto o Craven Cottage. Em meio a pressões dos novos tempos, a casa do Fulham conseguiu manter sua arquitetura centenária, que a diferencia especialmente das modernas arenas dos rivais londrinos Arsenal, Chelsea, Tottenham e West Ham. Sede da equipe desde 1896, o estádio possui várias características que não se repetem em nenhum outro do futebol inglês. O Verminosos por Futebol reúne abaixo 11 curiosidades.

A placa triangular da arquibancada de Craven Cottage é uma característica marcante (Foto: Divulgação)
Placa triangular da arquibancada de Craven Cottage é característica marcante (Foto: Divulgação)

1) Chalé do Craven
O curioso nome do estádio (Chalé Craven, em português) se deve ao fato de que o terreno, antes de sediar jogos de futebol, era ocupado pelo chalé do barão William Craven, construído em 1780. A casa, que ficava onde hoje é o círculo central, foi destruída por incêndio em 1888.

2) Tijolos vermelhos
O Fulham, fundado em 1879, assumiu o terreno em 1894 e inaugurou o campo em 1896. Diante de críticas a insegurança do estádio, o arquiteto Archibald Leitch, escocês que construiu Ibrox, do Rangers, foi contratado pelo clube. Inaugurado em 1905, o lance de arquibancada da Stevenage Road segue com poucas alterações, sendo mantida sua fachada de tijolos vermelhos.

3) Arquibancada inusitada
Na mesma obra, foi construído um pavilhão próximo a uma das bandeirinhas de escanteio, estrutura singular mesmo no tradicional futebol inglês. Atualmente a casa é usada como vestiário. E familiares de jogadores costumam utilizar a varanda como camarote particular.

Pavilhão ao lado das arquibancadas do Craven Cottage segue de pé desde 1905 (Foto: Divulgação)
Pavilhão ao lado da arquibancada do Craven Cottage segue de pé desde 1905 (Foto: Divulgação)

4) Torcedor plantado
Na região do Craven Cottage, vizinho ao rio Tamisa, existia uma floresta antes da construção do estádio. Uma árvore segue de pé até hoje próximo a bandeirinha de escanteio do setor Putney End, sendo a única árvore encontrada em qualquer estádio profissional britânico.

5) Reforço rival
O Craven Cottage chegou a receber 49 mil torcedores, num jogo contra o Millwall, em 1938, pela 2ª divisão inglesa. Curiosamente, o recorde foi estabelecido porque uma partida prevista para ocorrer no estádio do Chelsea, rival do Millwall, localizado a 2,5 km de distância, foi cancelada.

6) Lá não piso
Em crise nas décadas de 1980 e 1990, o Fulham foi parar na 4ª divisão. Numa série de promoções, voltou a Premier League em 2001, o que o obrigou a modernizar seu estádio. Durante as obras, a equipe chegou a jogar no estádio do Queens Park Rangers, mas parte da torcida boicotou as partidas em casa, até a reinauguração do Craven Cottage, em 2004.

> LEIA TAMBÉM

O estádio Craven Cottage, um dos menores da elite inglesa, fica ao lado do rio Tamisa (Foto: Divulgação)
Estádio Craven Cottage, um dos menores da elite, fica ao lado do rio Tamisa (Foto: Divulgação)

7) Último à moda antiga
Após o relatório Taylor, que determinou que todos os estádios abolissem lugares para torcedores em pé, os clubes que chegassem pela primeira vez à 2ª divisão teriam três anos para adequar-se às normas. Por isso, ainda dentro do prazo, o Fulham se tornou o último time a ter torcedores à moda antiga na 1ª divisão, na temporada 2001/02, oito anos após as novas regras.

8) Terreno neutro
Na reforma do estádio para adequação às normas do relatório Taylor, o Fulham conseguiu o direito de ter o único estádio britânico com um espaço para torcedores “neutros” ou “mistos”, chamado de “Pequena Suíça”. Pesou em seu favor o fato de não ter histórico de tumultos na arquibancada.

9) Mastros no telhado
O Fulham manteve até a temporada 2006/07 a tradição de expor bandeiras dos países representados por seus jogadores, no telhado do lance de arquibancada Hammersmith End. Nos últimos anos, Craven Cottage se tornou palco comum de jogos amistosos de seleções em campo neutro. A seleção brasileira jogou lá, por exemplo, em 2011, contra Gana.

O Fulham costumava exibir bandeiras dos países representados por seus jogadores (Foto: Divulgação)
Fulham costumava exibir bandeiras dos países representados por seus atletas (Foto: Divulgação)

10) Segunda casa
O estádio é a principal casa da seleção da Austrália quando atua fora de seu país, em virtude da grande quantidade de imigrantes na região oeste de Londres e também porque existem muitos jogadores australianos na Europa.

11) Homenagem polêmica
O Fulham inaugurou em 2011 uma estátua de Michael Jackson, que morreu em 2009. O cantor não torcia pelo time, mas recebeu a homenagem porque elogiou a animação da torcida após assistir a um jogo no Craven Cottage. A ideia foi do amigo Mohamed Al-Fayed, bilionário que foi proprietário do clube de 1997 a 2013. A estátua foi retirada pelos novos donos.

> LEIA TAMBÉM

Polêmica estátua de Michael Jackson foi inaugurada ao lado do estádio, em 2011 (Foto: Divulgação)
Polêmica estátua de Michael Jackson foi inaugurada no estádio, em 2011 (Foto: Divulgação)
Arquitetura centenária do estádio Craven Cottage é uma das marcas do Fulham, de Londres (Foto: Divulgação)
Arquitetura centenária do estádio Craven Cottage é uma das marcas do Fulham (Foto: Divulgação)

Site do Fulham:
www.fulhamfc.com
Visite o Craven Cottage:
www.fulhamfc.com/visit/craven-cottage

Leia também:

10-times-bem-alternativos-da-Inglaterra
www.verminososporfutebol.com.br/deu-a-louca/10-times-bem-alternativos-da-inglaterra


// Categorias

// Histórico de Publicações

// As mais lidas

Quer ser o primeiro a receber nossas novidades por e-mail?

// TV Verminosos

// Instagram

// Tags

Compartilhe: