Verminosos por futebol

https://goo.gl/HjLRc6

Viagem no tempo

TCC de Jornalismo resgata os estádios extintos de Belo Horizonte

O site Campos Invisíveis reúne reportagens sobre o passado do futebol de BH

O Campos Invisíveis foi produzido por quatro estudantes de Jornalismo (Foto: Reprodução)
O Campos Invisíveis foi produzido por quatro estudantes de Jornalismo (Foto: Reprodução)

Os estádios Independência e Mineirão foram inaugurados em 1950 e 1965, respectivamente. Em Belo Horizonte, na primeira metade do século passado a bola corria em outros campos. Esses estádios, com o tempo demolidos, tiveram sua história resgatada por estudantes de Jornalismo.

Os mineiros Carlos Oliveira, Ives Teixeira Souza, Gabriel Amorim e Lucas Sousa, todos de 21 anos, acabaram de lançar o site Campos Invisíveis. A página é resultado de Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), orientado pelos professores Carlos d’Andréa e Enderson Cunha.

Quatro estádios

Os estudantes relataram, em quatro reportagens, a trajetória de quatro estádios construídos na década de 1920: do América, onde hoje está o Mercado Central; do Barro Preto, posteriormente batizado de Juscelino Kubitschek, do Cruzeiro; Antônio Carlos, do Atlético; e Alameda, também do América, que substituiu sua casa anterior.

“A ideia inicial era produzir uma revista digital sobre o futebol belo-horizontino, com pautas mais alternativas e assuntos pouco explorados na mídia tradicional. Queríamos falar sobre os antigos estádios, então percebemos que estes campos possuíam fôlego e potencial para serem o foco principal do projeto”, explica Lucas.

Todo o processo teve duração de um ano e meio, desde as primeiras propostas até a publicação do site. “Entramos de cabeça em pesquisas e entrevistamos pessoas ligadas à história desses estádios, como jornalistas, ex-jogadores e seus filhos, além de ex-presidentes dessas agremiações”, acrescenta Lucas.

“Queríamos falar sobre os antigos estádios, então percebemos que estes campos possuíam fôlego e potencial para serem o foco principal do projeto”. (Lucas Sousa)

  • Estádio Alameda, do América, em 1948 (Foto: José Goés)
  • Estádio Juscelino Kubitschek, do Cruzeiro, em 1973 (Foto: Arquivo EM/DA Press)
  • Estádio Antônio Carlos, do Atlético (Foto: Alexandre Campos)
  • Estádio do América, em 1924 (Foto: América Futebol Clube)

Nenhum desses estádios existe mais. Atualmente, além do Mineirão (localizado no bairro da Pampulha) e do Independência (no Horto), Belo Horizonte também conta com os centros de treinamento do trio de clubes locais. Neste ano, o Atlético anunciou que vai construir seu estádio próprio, a Arena MRV, no bairro Califórnia.

O TCC está encerrado, mas o projeto continua nas redes sociais, com conteúdos especiais sobre clubes, jogadores e estádios. No último dia 27, o Campos Invisíveis fez um “tempo real” do histórico Atlético 9×2 Cruzeiro de 1927, quando os cruzeirenses ainda se chamavam Palestra Itália. Sim, o jogo foi lembrado como se fosse hoje! Como se vê, vale a pena acompanhá-los.

Serviço:

Campos Invisíveis
Site | Twitter


// Categorias

// Histórico de Publicações

// As mais lidas

Quer ser o primeiro a receber nossas novidades por e-mail?

// TV Verminosos

// Instagram

// Tags

Compartilhe: