Verminosos por futebol

https://goo.gl/HjLRc6

Papo sério

Em Curitiba existe um campeonato amador disputado desde 1941: a Suburbana

Yuri Casari conta os bastidores do futebol amador de Curitiba, um dos mais organizados do país

O Campeonato Amador de Curitiba possui duas divisões (Foto: Dudu Nobre/Do Rico ao Pobre)
O Campeonato Amador de Curitiba possui duas divisões (Foto: Dudu Nobre/Do Rico ao Pobre)

Por Yuri Casari, do site Do Rico ao Pobre.

Dizem em Curitiba que não há maior turista que o próprio curitibano. Amamos visitar nossos museus, passear por nossos parques, gastar sola de sapato pelo calçadão da Rua XV de Novembro ou comer o famoso cachorro-quente com duas vinas. Há muita verdade nisso. Vejo por mim, que desde pequeno, levado pelos pais, sempre realizei todos esses programas de fim de semana. Para qualquer um que nos visite, esse é o roteiro básico para conhecer nossa cidade. Mas descobri que a verdadeira Curitiba, aquela mais próxima da nossa realidade, do nosso cotidiano de cidadão comum, só pode ser descoberta conhecendo o nosso futebol amador.

A famosa Suburbana, disputada ininterruptamente desde 1941 (portanto, mais tradicional até mesmo que o Campeonato Brasileiro), reúne equipes de todos os cantos do município, cada uma com suas particularidades, com suas histórias, e com suas identidades, que inclusive ajudam a contar a história da cidade. Atualmente organizado pela Federação Paranaense de Futebol, o Campeonato Amador de Curitiba possui duas divisões, além da disputa juvenil.

> Esta matéria faz parte da série #VerminososEmCuritiba, de nosso tour de futebol na cidade. Confira as outras:

– Vai a Curitiba? Saiba o que ver em tour de futebol na cidade.
– Faça um passeio pela estrutura e a história do ecoestádio do J. Malucelli.
Grupo de pesquisadores-torcedores faz estudos sobre a história do Coritiba.
– Loja de shopping de Curitiba é especializada em camisas de futebol antigas.

As forças suburbanas

O atual campeão é o Iguaçu, clube amador mais antigo da cidade, fundado em 1919 no Botiatuvinha, tradicional bairro constituído pela Colônia Italiana. O alvinegro da Colônia Famosa, como é conhecido, só não é mais antigo no estado que o Coritiba (1909), o Operário de Ponta Grossa (1912), o Rio Branco de Paranaguá (1913) e o Iraty (1914), dos que ainda estão em atividade. O maior rival do Iguaçu, o Trieste, também com origem italiana, é conhecido pela estrutura do estádio Francisco Muraro, um complexo esportivo de alto nível.

Outra potência local tem sido o Santa Quitéria, clube que tem uma fanática torcida que nada deve às organizadas de clubes profissionais. Assim como os times do Imperial e do Operário Pilarzinho.

Nos bairros mais afastados do centro, e também mais populosos, pode se encontrar equipes que são verdadeiro orgulho de suas comunidades, como o Vila Sandra, o Grêmio Palmeirinha, o Nacional do Boqueirão, o Urano do Xaxim, o Vila Fanny, o Capão Raso, o Uberlândia, o Novo Mundo, o Nova Orleans, o Renovicente, o Operário Pilarzinho, entre outros clubes. Os jogos são verdadeiros pontos de encontro de amigos e da família.

Em um regime quase semi-profissional, a Suburbana atrai desde jovens que ainda sonham com a chance no mundo do futebol até ex-jogadores de grandes clubes, como o lateral-direito Luisinho Netto, ídolo do Atlético Paranaense e com passagens por equipes como São Paulo e Atlético-MG.

Torcida do Vila Sandra na final da série B da Suburbana 2016 (Foto: Yuri Casari/Do Rico ao Pobre)
Torcida do Vila Sandra na final da série B da Suburbana 2016 (Foto: Yuri Casari/Do Rico ao Pobre)

Outro aspecto interessante do Futebol Amador de Curitiba é a cobertura midiática. Cada vez mais o certame local tem chamado a atenção do público, que permite a criação de novos veículos jornalísticos. Foi trabalhando que entrei de cabeça no mundo da várzea. Desde fevereiro de 2016, faço parte da equipe do site Do Rico ao Pobre, que realiza a cobertura da Suburbana com textos, vídeos e fotos das partidas.

Atualmente, destacam-se também as rádios, veículo que sempre acompanhou o amador, como a Capital Sul FM e a Rádio Barigui. Outros blogs e sites também fazem um trabalho direcionado para a Suburbana, como o Futebol Metrópole, o Gol de Pauta, o Balançando a Rede e o Futebol Amador PR.

“A verdadeira Curitiba, aquela mais próxima da nossa realidade, do nosso cotidiano de cidadão comum, só pode ser descoberta conhecendo o nosso futebol amador”. (Yuri Casari)

Além de tudo isso, é no amador onde os casos e personagens mais insólitos e curiosos costumam aparecer. O cachorro que invade o gramado, a bola que vai parar no mato, a pipa que interrompe a partida, o “bumba-meu-boi” que acontece nos castigados campos de jogo… E também os torcedores icônicos, como um torcedor do Bairro Alto, que quando já está pra lá de Bagdá – ou seja, sempre – começa a cantar, ou melhor, a berrar o tempo de jogo. TRIIIIINTAAAA E OITO E MEIOOOOO!!!

Por todo o universo que compreende o nosso futebol amador, quando vier a Curitiba, vá além do Parque Barigui, da Jardim Botânico ou da Ópera de Arame. Vai pro alambrado, coma um pão com bife e conheça um importante pedaço da cultura do povo curitibano.

> Yuri Casari, curitibano de 25 anos, é jornalista, sendo repórter e fotógrafo do site Do Rico ao Pobre.

Visita festejada em jogo da Taça Paraná 2017 (Foto: Cleiton da Cruz/Do Rico ao Pobre)
Visita festejada em jogo da Taça Paraná 2017 (Foto: Cleiton da Cruz/Do Rico ao Pobre)

Posts da série #VerminososEmCuritiba, um guia turístico-futebolístico da cidade:

– Vai a Curitiba? Saiba o que ver num tour de futebol na cidade.
– Faça um passeio pela estrutura e a história do ecoestádio do J. Malucelli.
– Grupo de pesquisadores-torcedores faz estudos sobre a história do Coritiba.
– Loja de shopping de Curitiba é especializada em camisas de futebol antigas.
– Em Curitiba existe um campeonato amador disputado desde 1941: a Suburbana.


// Categorias

// Histórico de Publicações

// As mais lidas

Quer ser o primeiro a receber nossas novidades por e-mail?

// TV Verminosos

// Instagram

// Tags

Compartilhe: